Pages

17 de ago de 2011

ENFERMEIRO URGENCIA-CONTEUDO PROGRAMATICO


Cód. 49 – Técnico Superior de Saúde/ Enfermeiro de Urgência
Conteúdo Programático:
1. A política de saúde mental de Belo Horizonte;
2. A prática dos serviços substitutivos;
3. Assistência a paciente em situação de crise;
4. Assistência ao adulto e ao Idoso nas doenças crônico degenerativas, cardiovasculares, respiratórias, neurológicas, endócrinas,
gastrointestinais e urinárias;
5. Assistência ao paciente e família em situação de emergência;
6. Assistência ao paciente politraumatizado;
7. Assistência de enfermagem à criança e adolescente em situações de urgência;
8. Assistência de enfermagem a pacientes com Insuficiência Renal Crônica (diálise e hemodiálise);
9. Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico, no pré e pós-operatório e com nercessidade de cuidados intensivos;
10. Assistência de enfermagem nas principais emergências clínicas: Parada cardio-respiratória, Edema agudo de pulmão, Intoxicação Exógena
e Envenenamentos, AVC, Diabetes, Hipertensão, Convulsão, Choque, Arritimias Cardíacas, Hemorragia Digestivas, Infarto Agudo do
Miocardio, Angina, Dor Abdominal, Lesões Vasculares e Arteriais, Insuficiência Cardíaca, Insuficiência Respiratória, Pneumopatias,
Feridas, Reação Anafiláticas e doenças degenerativas no idoso;
11. Assistência no Transporte do paciente crítico;
12. Atendimento de acordo com Suporte Básico e Avançado de Vida em situações de urgência e emergência;
13. Atribuições do enfermeiro nas diversas instâncias da clínica de urgência.
14. Atuação do enfermeiro no processamento de materiais;
15. Característica do Serviço de Urgência Pré-Hospitalar Fixo e Móvel e Hospitalar;
16. Código de Ética profissional (Princípios éticos (direitos do paciente, da equipe e dos profissionais;);
17. Complicações Obstétricas: Abortamento, Hemorragias e Doença Hipertensiva na Gravidez;
18. Cuidado ao paciente idoso em ambiente domiciliar.
19. Educação continuada;
20. Gestação, Parto e Puerpério;
21. Integração da equipe multiprofissional na resolução dos problemas do paciente e/ou família.
22. Intercorrências patológicas mais freqüentes na criança e adolescente;
23. Legislação de enfermagem;
24. Legislação específica no processamento de materiais;
25. Manuseio, Uso e funcionamento de equipamentos em terapia intensiva.
26. Noções básicas de eletrocardiografia: fazer leitura básica de eletrocardiograma;
27. Organização e Composição dos Serviços de Saúde;
28. Organização, direção do serviço de enfermagem;
29. Planejamento e assistência de enfermagem com a participação do paciente e/ou família e/ou equipe de saúde (Elaboração e execução do
Plano de Cuidados de enfermagem);
30. Políticas e Portarias Públicas de Urgência do Ministério da Saúde;
31. Preparo e manuseio de materiais (infecção);
32. Programa Humanizasus;
81 / 101
33. Registro de informações e ocorrências relacionadas ao paciente (terminologia específica);
34. Relacionamento social, afetivo e profissional adequado com pacientes, família, profissionais da área, professores e demais equipes;
35. Relacões Humanas no Trabalho e implicações éticas;
36. Sinais e Sintomas dos pacientes em situações de urgência;
37. Supervisão e liderança em enfermagem;
38. trabalho da enfermagem no contexto da reforma psiquiátrica;
39. Trabalho gerencial em Enfermagem: planejamento e tomada de decisão como instrumento no processo gerencial do enfermeiro, funções
administrativas e o trabalho de enfermagem;
40. Transporte do paciente crítico e Neonatal;
41. Urgência obstétrica e neonatal;
42. Urgências Traumáticas: TCE, Trauma Raquimedular, Trauma torácico, Trauma Abdominal fraturas, Choques, Afogamento, Causas
Externas, Queimaduras, Abusos, etc.
Bibliografia Sugerida:
1) ABOU-YD, Míriam, LOBOSQUE, A. M. A Cidade e a Loucura: Entrelaces. In: DOS REIS, A.T. et al. (Orgs). Sistema Único de Saúde
em Belo Horizonte: Reescrevendo o Público. Xamã Editora, São Paulo, 1998.
2) AEHLERT, Barbara. ACLS. Advanced Cardiac Life Support: emergências em cardiologia – Um guia para Estudo. 3ª edição, Editora
Elsevier, 2007. 608p.
3) ANDRADE Filho, Aderbal et al. Toxicologia na pratica clinica. Belo horizonte: Editora Folium, 2001. 386 p.
4) ANGELO, M.; BOUSSO, R. S. Fundamentos da assistência à família em saúde. BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de
enfermagem. São Paulo: Ministério da Saúde, 2001. Pgs. 43-46. Disponível em: <http://www.ee.usp.br/doc/manual_de_enfermagem.pdf>,
acesso em 03/08/11.
5) BELO HORIZONTE. Secretaria Municipal de Saúde. Coordenação de Saúde Mental. Atenção à Saúde Mental da Criança e
do Adolescente: Trajetória de Construção de Uuma Política. In: Sirimim. Ano IV nº 1, janeiro/abril 2005. Disponível
em: <http://www.pbh.gov.br/smsa/biblioteca/concurso/at_saude_mental_crianca_adolescente.pdf>, acesso em 04/08/11.
6) BERGERON, David. et al. Primeiros socorros. 2ª edição, São Paulo: Editora Atheneu, 2007.
7) BERTUSSI, D. C.; OLIVEIRA, M. S. M.; LIMA, J. V. C. A Unidade Básica no contexto do Sistema de Saúde. In: ANDRADE, Selma
M.; SOARES, Darli A; CORDONI JR, Luiz. (Orgs.). Bases da Saúde Coletiva. Londrina: 1ª edição, Editora Eduel, Jan/2001, cap. 7, p.133
a 143.
8) BRASIL – Ministério da Saúde. Portaria n.º 2048/GM Em 5 de novembro de 2002. Aprova o Regulamento Técnico dos Sistemas
Estaduais de Urgência e Emergência. Disponível em: <http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2002/Gm/GM-2048.htm>, acesso
em 25/07/11.
9) BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem - COFEN. Resolução COFEN-311/2007. Aprova o Código de Ética dos Profissionais de
Enfermagem e dá outras providências. Rio de Janeiro, 2000. Disponível em: < http://www.portalcofen.gov.br/sitenovo/node/4158> e/ou
<http://site.portalcofen.gov.br/node/4280>, acesso em 25/07/11.
10) BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução COFEN-358/2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem
e a implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem,
e dá outras providências. Disponível em: <http://www.portalcofen.gov.br/sitenovo/node/4384>, acesso em 25/07/11.
11) BRASIL. Diário Oficial da União. Decreto Lei 94.406/87, de 08 de Junho de 1987. Regulamenta a Lei 7.498, de 25 de Junho de 1986,
Dispõe sobre o exercício da enfermagem e dá outras providências.
12) BRASIL. Diário Oficial da União. Lei Federal nº 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas
portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Brasília/DF: Site http://www.inverso.org.br. Link:
legislação brasileira/leis federais. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/LEIS_2001/L10216.htm>, acesso em
24/07/11.
13) BRASIL. Diário Oficial da União Poder Executivo. Resolução nº 1.672, de 29 de julho de 2003. Dispõe sobre transporte inter-hospitalar
de pacientes e dá outras providências. Brasília/DF: n. 144, 29 jul. 2003. Seção 1, p. 78. Disponível em:
http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=36598&janela=1, acesso em 03/08/11.
14) SMELTZER , Suzzane & BARE, Brenda G. BRUNNER e SUDDARTH - Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica. Editora
Guanabara Koogan. 11ª edição,2009, 4 vols.
15) COHN, Amélia; ELIAS, Paulo Eduardo Mangeon (orgs.). Saúde no Brasil: políticas e organização dos serviços. 4ª edição, São Paulo:
Editora Cortez/Cedec, 6ª edição,: 2005.
16) CUNHA, J. P. P; CUNHA, R. E. Sistema Único de Saúde: princípios. In: BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde.
Coordenação Geral da Política de Recursos Humanos. Gestão Municipal de Saúde: textos básicos. Brasília/DF: 2001. Cap.12, p. 285 -
304. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/gestao_municipal_de_saude.pdf>, acesso em 25/07/11.
17) FREIRE, Evandro. Trauma - A doença do Século. 1ª edição, São Paulo: Editora Atheneu, 2001, Vol 1 2e 2.
18) HARKNESS, Judith R. D. G. Fundamento e Prática da Enfermagem: Atendimento Completo ao Paciente. 8ª edição, Porto Alegre:
Editora Artmed - Artes médicas, 2007.
19) HUDAK, Bárbara G.; Hudak, Carolyn M. Cuidados Intensivos de Enfermagem: Uma Abordagem Holística. 6ª edição, Editora
Guanabara Koogan, 1997.
20) KIRSCHBAUM, Dir. O trabalho de enfermagem e o cuidado em saúde mental: novos rumos? In: Cadernos IPUB. Compreensão e
Crítica para uma Clínica de Enfermagem Psiquiátrica. Rio de Janeiro: UFRJ/IPUB; 2000. P. 15-36.
21) KURGANT, Paulina. Administração de Enfermagem – 1ª edição, Editora EPU, 1991.
22) LOBOSQUE, Ana Maria. Clínica em Movimento: o cotidiano de um serviço substitutivo em Saúde Mental. In: Clínica em
Movimento: por uma sociedade sem manicômios. 1ª edição, Rio de Janeiro: Editora Garamond; 2005.
23) MARTINS, Silvio; SOUTO, Maria Isabel D. Manual de Emergências Médicas, Diagnóstico e Tratamento. 2ª edição, Rio de Janeiro:
Editora Revinter, 2003.
24) MCSWAIN, Norman E; FRAME, Scott; SALOMON, Jefrey P. Atendimento Pré-hospitalar ao Traumatizado – PHTLS. Básico e
Avançado. 6a edição, Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2007.
25) OLIVEIRA Adriana C. Infecções Hospitalares - Epidemiologia, Prevenção e Controle. 1ª edição, Editora Guanabara Koogan, 2005.
82 / 101
26) OLIVEIRA, A.B.; ALESSI, N. P. O trabalho de enfermagem em saúde mental: contradições e potencialidades atuais. Revista Latino-
Americana Enfermagem (periódico on line) maio/junho 2003; 11 (3): 333-40. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/rlae/v11n3/16543.pdf>, acesso em 25/07/11.
27) RALSTON, Mark, M. D. et al. Pediatric Advanced Life Support Course Guide and PALS Provider Manual. Edição Inglesa 2002,
Publisher: American Heart Association and American Academy of Paediatrics. Copyright, Edição em Português, 2003.
28) ROTHROCK, Jane C. Alexander - Cuidados de Enfermagem ao Paciente Cirúrgico. 13ª edição, Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2007.
29) Santos, Elaine F. et al.Legislação em Enfermagem - Atos Normativos do Exercício e do Ensino de Enfermagem. 1ª edição, São Paulo:
Editora Atheneu, 2002.
30) SARACENO, B. Libertando Identidades: da Reabilitação Psicossocial à Cidadania Possível. 2ª edição, Rio de Janeiro (RJ): Editora
IFB/Te Cora, 1999.
31) SWEARINGEN, Pamela L; HOWOARD, Cheri A. Atlas Fotográfico de Procedimentos de Enfermagem. 3ª edição, Porto Alegre:

Nenhum comentário:

Postar um comentário